Skip to content

TJ do cardigã Bettina – 6ª e última parte!

E chegamos ao final das dicas do "Tricotando Juntos" do cardigã Bettina! Mas esse "final" está com gostinho de recomeço, pois algumas pessoas estão começando agora e outras estão iniciando uma segunda peça (YAYYYY!)!!! Hoje vamos falar sobre acabamento e blocagem! ***lembrando que minhas observações estão na cor UVA!!! Acabamento Arremate e esconda todas as pontas (do acabamento em i-cord duplo dos punhos e em volta do cardigã) e feche qualquer buraco que tenha ficado (como debaixo do braço). *** vejo essa parte como um "trabalho de arte"! Um acabamento bem feito faz toda a diferença em uma peça tecida a mão! Gosto de pousar a peça sobre meu joelho (foto abaixo), e com calma vou acompanhando o formato e direção dos pontos fechar os buracos na área da axila. Uma fez que eles estão fechados, reforço por uma segunda vez. Da mesma forma, no encontro das extremidades do I-cord, vou observando e fazendo a costura seguindo a formação dos pontos. Nos dois casos, é importante não tensionar demais. Se o arremate for muito apertado, ele fatalmente vai deformar o trabalho.Tenha em mente que vamos vestir a peça e nos movimentar!   Faça a blocagem do trabalho para ficar de acordo com as medidas indicadas e para alinhar os acabamentos em i-cord. ***Como tudo no trico, não existe apenas uma forma de se chegar a um resultado! Compartilho aqui com vocês uma das diversas formas de blocar um casaco. Optei por esse tipo de blocagem pelas características do Bettina (tecido criado por pontos tecidos por trás e acabamento adicionado a peça e tecido em outra direção - I-cord duplo). Dependendo da forma e tensão com que cada um levantou os pontos e teceu o I-cord, pode haver um certo "enrugamento" da peça. E esse tipo de blocagem é focado em eliminar e/ou minimizar esse efeito, assim como adequar a peça as medidas sugeridas na receita. A primeira etapa da blocagem, que é molhar e moldar, faço da mesma forma, independente da composição do fio. Encha o tanque ou uma bacia grande com água e adicione um pouco de sabão para roupas delicadas (dos importados, gosto muito do Eucalan e dos nacionais o Olà). Depois de misturar o sabão com a água para que fique uma mistura homogênea, com delicadeza, lave a peça nessa mistura. Pressionando suavemente, vá eliminando o excesso de água. Como vamos usar pinos/alfinetes em "T" para moldar os cantos de 90º e o I-cord, coloque cobre a seu local habitual de blocagem (placa, isopor, colchão, EVA etc), uma toalha e sobre a toalha, acomode o cardigã ainda bem molhado) Nas duas primeiras fotos, você pode observar como alongar com as mãos, o I-cord junto à peça.     ***Em seguida, com a ajuda da fita métrica, vá moldando e colocando os alfinetes no cardigã, de acordo com as medidas para o seu tamanho. Não é necessário fazer essa etapa milimetricamente perfeita, mas sim modelar a peça o mais próximo das medidas do tamanho tecido.     ***Como um dos detalhes do Bettina é o acabamento em I-cord duplo com ênfase nos cantos retos, esse é o momento para modelar esses cantos com alfinetes.         ***Uma vez que a peça esteja moldada de acordo com as medidas indicadas e, no caso do Bettina, com seus detalhes realçados, a segunda etapa é a secagem. Se a fibra for 100% natural e à base de proteína (qualquer tipo de lã), você pode deixar secar naturalmente. Se a fibra for natural, mas a base de celulose (algodão, linho e cânhamo), ou celulose processada (rayon, modal, acetato, lyocel /tencel, bambu e milho), sintéticas (nylon, poliéster e acrílico) ou ainda que sejam mistura de lã natural com qualquer uma dessas outras fibras, é indicado usar algum processo que envolva calor (secador ou ferro à vapor - aplicados com aproximadamente 20 cm de distância. Como opção para quem tem ferro de passar normal, pode ser colocada uma toalha encharcada por cima da peça e levemente ir passando o ferro. Mas atenção: se houver pressão com o ferro, os pontos vão ficar com aparência achatada. Passe o ferro delicadamente, quase que sem encostar na toalha). Colchetes para o fechamento: coloque 10 pares de colchetes em intervalos regulares. Para um fechamento melhor, eles devem ser costurados internamente na linha entre o término do cardigã e o início do primeiro acabamento em i-cord. ***Para quem optar por esse tipo de fechamento, a localização dos colchetes vai fazer toda a diferença no aspecto final! Como o tecido formado pelo tricô é muito elástico, se os colchetes forem costurados ao longo do encontro entre o cardigã e o primeiro I-cord, quando o casaco estiver vestido no corpo, não deve haver espaço.         Espero que tenham se divertido e curtido seus "Bettinas"! Até o próximo TJ! PeaceKnitLove para todos...sempre! Bjkas, Paula
2 Comments Post a comment
  1. Ivana #

    Paula, finalmente comprei os colchetes para finalizar meu Bettina. Vou fazer a modelagem ainda e estou com uma dúvidas:
    1 – tem alguma diferença entre usar estes alfinetes em T e aqueles de cabeça de bolinha?
    2 – se for usar um método com calor (fio acrilico) e quiser usar vapor, precisa molhar a peça antes ou só o vapor ja faz o trabalho?

    Bjs
    Ivana

    September 14, 2012
    • peaceknitlove #

      Oi Ivana!

      Os em “T” as vezes são mais grossinhos e podem facilitar a blocagem. Mas qualquer alfinete que prenda a peça está show!

      Eu sempre umedeço a peça para qualquer tipo de blocagem. Pelo que experimentei até agora, a blocagem funciona melhor quando a peça está molhada!

      Super bjkas

      November 5, 2012

Leave a Reply

You may use basic HTML in your comments. Your email address will not be published.

Subscribe to this comment feed via RSS